Crianças com estomatite precisam ser hidratadas

Especialista esclarece as dúvidas mais frequentes sobre a doença
por Redação Bebê

Melina Cabral

Do Bolsa de Bebê

Conhecida pela síndrome “mão-pé-boca”, a estomatite é uma doença frequente em bebês e crianças. “É uma infecção viral que provoca várias aftas na boca e garganta, causando muitas vezes grande desconforto, dor e perda do apetite as crianças.

Leia também:

Para ser saudável, lancheira deve refletir alimentação de casa

Aprenda a fazer um lanche saudável para as crianças

Baixa estatura da criança pode ser indicativo de doenças

Os pais não precisam se assustar, a doença tem tratamento e é muito comum na infância. O vírus da herpes simples tipo 1 (HSV-1) fica no organismo da pessoa infectada para o resto da vida, e se manifesta quando a imunidade baixa. Outro vírus, o coxsackie, também pode causar estomatites nos pequenos, e o tratamento é o mesmo para ambos os vírus.

O vice-presidente do departamento de pediatria ambulatorial da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Dr. Tadeu Fernando Fernandes, esclarece algumas dúvidas frequentes em relação à estomatite infantil.

- Quanto tempo demora a curar?

Como todo quadro viral, precisa aguardar o ciclo de vida do vírus que varia de 5 a 10 dias, depende muito do estado em que se encontra o sistema imunológico da criança. Quanto melhor a resposta, menor será o tempo de doença.

Leia também:

O terror do bullying

Postura curvada pode ser sinal de escoliose

Doenças que passam de mãe para filho precisam de atenção

- Como são as lesões?

As feridas são pequenas (de 1 a 5 milímetros de diâmetro), acinzentadas ou amareladas no centro e avermelhadas por fora. Sua gravidade e localização dependem muito do tipo de vírus que está provocando a estomatite. As lesões podem aparecer na gengiva, na parte interna das bochechas, no fundo da boca, nas amígdalas, na língua ou no céu da boca. As gengivas podem ficar ainda inflamadas e sangrar facilmente. As feridas causam febre, falta de apetite e muita irritabilidade na criança e nos pais.

- Uma criança pode contrair da outra?

Sim. A transmissão é de criança para criança através da mucosa oral. Brinquedos, chupetas e bicos em contatos com a saliva infectada pelos vírus propagam a transmissão.

- Como tratar?

Não existe tratamento específico, analgésicos e antitérmicos podem ajudar a diminuir a dor e a febre. Está totalmente contra-indicado o uso de antibióticos por se tratar de uma doença viral. Nunca medique seu filho sem orientação do seu pediatra. Embora a criança não tenha vontade de beber nada por causa da dor ao engolir, é importantíssimo mantê-la hidratada. Tente oferecer bebidas mais frias, não ácidas e não gasosas, água de coco, isotônicos, milk shakes, sucos diluídos e leite não quente são boas opções. Evite alimentos ácidos (laranja, abacaxi, tomate, morango, kiwi, limão) ou muito temperados (sal, alho). Gelatina, canja, purê de legumes, caldo de carne (não artificiais) e macarrão bem molinho com molho feito a base de caldo de carne, tudo sem forçar e sem brigar. Estomatite dói muito!

-Existe prevenção?

É difícil impedir as estomatites, já que o vírus circula entre adultos e crianças e é facilmente transmitido através do contato normal entre pessoas. O que é possível fazer é não deixar as crianças perto de alguém que esteja com a infecção, e caso seu filho estiver com a estomatite, evite que ele vá à escola, para proteção dele e principalmente para evitar a transmissão para os coleguinhas.

Não existem vacinas ou medicamentos que previnam, mas sempre lembrando que uma boa imunidade é fundamental na prevenção e tratamento, e boa imunidade é igual à boa alimentação com sucos, frutas, legumes e verduras tudo fresquinho e preparado na hora, banhos de sol (vitamina D é fundamental para o sistema imunológico) e atividades físicas ao ar livre.

 

Leia também: 

Gravidez semana a semana: veja o que ocorre com mãe e bebê

Entendendo seu corpo: período fértil

Especialista esclarece 10 principais dúvidas sobre o ultrassom

As 10 maiores dúvidas sobre ovulação

Categoria:

Leia também: